quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Copa do Mundo de 1994, Estados Unidos. Pacote completo.

A Copa do Mundo de 1994, marcou a volta do Brasil ao panteão dos campeões mundiais depois de 24 anos na fila. Realizada nos Estados Unidos, país onde o futebol é jogado com as mãos, armaduras e uma bola oval, a copa ficou marcada por uma histeria de uniformes coloridos, por grandes atuações das seleções balcânicas de Romênia e Bulgária e por um jogo - Camarões x Rússia - que bateu dois recordes até hoje de pé: Salenko, com 5 gols marcados num mesmo jogo e Roger Milla, o mais velho jogador a marcar um gol em copas do mundo. Mas houve mais coisas: a triste história do zagueiro Escobar, da Colômbia, assassinado em seu país após ter feito um gol contra na copa; o melancólico encerramento da carreira do mito Diego Maradona; e a glória de uma infernal dupla de atacantes: Bebeto e Romário.

O Brasil venceu a copa em um jogo duríssimo contra a surpreendente - ainda que forte - Itália de Baggio, Baresi, Maldini e Pagliuca, jogo que acabou - pela primeira vez em copas - decidido nos pênaltis. O Brasil de Parreira e Zagallo estava longe de ser uma unanimidade. O caminho para o título, contudo, teve fatos dignos de uma grande conquista. A dupla titular de zagueiros - Ricardo Rocha e Ricardo Gomes - se contundiu e deu lugar a dois reservas que fizeram uma copa perfeita na zaga: Aldair e Márcio Santos. A seleção contava com dois espetaculares laterais, no auge da carreira: Jorginho e Leonardo. Mas quando este último, em uma jogada absolutamente inexplicável quebrou o crânio de Tab Ramos, o antiquado e lesionado Branco assumiu o posto para marcar possivelmente o mais importante gol daquela jornada, na vitória contra a Holanda.

Era um tempo em que os cabeças de área faziam história e a seleção brasileira tinha dois perfeitos pitbulls no meio campo: Mauro Silva e Dunga. O ponto fraco eram os armadores. Raí, de quem muito se esperava, nada produziu, sendo substituído rapidamente pelo cumpridor Mazinho. E Zinho, de quem muito também se esperava ganhou o apelido de "enceradeira", por prender demais a bola em movimentos infrutíferos. Contudo, se havia este espaço morto no meio de campo, Romário e Bebeto destroçaram defesas com jogadas brilhantes e geniais.

Mas caberia ao último jogador dessa seleção, decidir a copa, contudo. Foi nas mãos do inseguro mas ágil Cláudio Taffarel que a azzurra parou. E a inesquecível cobrança desperdiçada pelo brilhante Roberto Baggio soltou o grito de "É Tetra" das gargantas de milhões de brasileiros.

Abaixo, os grupos da Copa de 1994.
As cartelas estão disponíveis por R$ 5, cada. R$ 10 por seleção, R$ 240 o pacote completo. Só me mandar um email ou chamar nos comentários.

Abs.

Grupo A






Grupo B






Grupo C






Grupo D






Grupo E






Grupo F

  




3 comentários:

Maurício Araujo disse...

Top demais! Adoro seu trabalho Marcos...
Abraço...

Maurício (designdebotao.blogspot.com.br)

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J. Sandes disse...

Show de bola, como sempre. Artes clássicas e de muito bom gosto!!!!