domingo, 2 de novembro de 2008

A mais fiel das torcidas.

“Todos times têm uma torcida. O Corinthians é uma torcida que tem um time”, dizem os corinthianos. E é verdade. Se há um time brasileiro do qual é impossível falar com eufemismos ou parcimônia é o Sport Club Corinthians Paulista. Tudo no Corinthians é superlativo, a começar por seu nome inglês e sua criação paradoxalmente operária. Sua torcida já foi a maior do país, apesar de ser conhecida apenas por um pequeno e poderoso apelido: Fiel. Seus torcedores são tidos como além de apaixonados, fanáticos, desesperados, os mais felizes e os mais sofridos de todos os tempos. Campeão Mundial, quatro vezes campeão brasileiro, bicampeão da copa do Brasil e vinte e cinco vezes capeão estadual, é nos longos períodos sem títulos que mais se sentia a força do mito corinthiano. Popular, democrático ao extremo, polêmico e incondicionalmente querido ou odiado, e não à toa chamado de Timão, o Corinthians é, sem dúvida, uma das faces mais típicas do futebol brasileiro.

O drama e a paixão sempre estiveram ligados ao time alvinegro do Parque São Jorge. As conquistas, sempre suadas, as derrotas sempre sofridas. Mas poucas vezes um título significou tanto para um clube brasileiro quanto o estadual paulista decidido, depois de três jogos, em 13 de outubro de 1977. A Ponte Preta tinha um grande time, com o zagueiro Oscar e o goleiro Carlos. A expulsão de Rui Rei, contudo, desestabilizou a equipe campineira e o Corinthians passou a mandar no jogo. Só que os minutos passavam e nada acontecia. O Timão, de Vaguinho e Wladimir, era todo ataque, a Ponte se defendia como podia. Somente aos 38 do segundo tempo, depois de um cruzamento de Zé Maria e um bate-rebate na área, Basílio empurrou a bola para o fundo das redes. Poucos minutos depois, um grito calado há 23 anos explodiu no Morumbi. O Corinthians era campeão de novo.

Corinthians x Ponte Preta 1977 - Cartela de escudinhos (PDF)
Corinthians x Ponte Preta 1977 - Cartela de escudinhos (PNG)
Corinthians x Ponte Preta 1977 - Youtube

Um comentário:

CARLOS disse...

O ano de 1977 não vai sair da memória. A Ponte Preta time um time im batível e naquele ano venceu o Corintians 4 vezes. Só perdeu nas finais pois o esquema para fazer o Corintians campeão era muito forte. Primeiro a Federação não deixou ocorrer jogos em Campinas e segundo, os juízes estavam direcionados para fazer o cor. campeão. No segundo jogo, vitória da Macaca por 2 x 1 o juiz deu o terceiro cartõao amarelo para Odirlei e falou para ele: Se ferrou, está fora da final.E no último jogo a expulsão do Rui Rei outras ajudas, fizeram o Corintians sair de um jejum de 23 anos.